Ressonance RPG



 
HomeInícioCHATRegistrar-seConectar-seBuscarCalendárioFAQ

Compartilhe | 
 

 Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”

Ir em baixo 
AutorMensagem
Katsumi Liqueur

avatar

Mensagens : 480
Data de inscrição : 31/07/2010
Idade : 29
Localização : Rio de Janeiro

MensagemAssunto: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Qui Ago 26, 2010 10:31 pm

Ryghar, Daniel, Zao e Alex

Harrison reconheceu o lugar onde estava assim que o carro saiu da garagem, era um bairro nobre de Seattle, mas que não ficava tão distante assim de sua casa. A verdade é que o jovem já era naturalmente impaciente, mas na situação em que estavam e o fato de ainda não ter conseguido falar com sua família, começaram a incomodá-lo bastante enquanto ia até sua casa... Mas, não era só isso, havia uma pulga atrás de sua orelha, algo lhe dizendo que aquela situação, simplesmente, fedia. Harrison não saberia dizer o que, exatamente, mas a ansiedade chegava a lhe causar um mal estar físico. Ele nunca esteve tão calado perto dos outros...

Alex dirigiu sem problemas, dessa vez, e estacionou o carro na frente da casa de Harrison. O local estava em silêncio, as janelas cerradas e com cortinas fechadas, algo estranho para uma manhã ensolarada e abafada. O jovem praticamente pulou do carro e foi até sua casa, entrando na mesma, os outros o seguiram, Albine na retaguarda. Quando ela tocou na porta da casa de Harrison para fechá-la, algo aconteceu, uma “visão”, não, não era exatamente uma visão, era como se estivesse fazendo uma leitura do que havia sido impregnado no ambiente, não foi algo que viu, mas um sentimento que teve. Foi um sentimento ruim, de angústia, medo, dor e morte. Ela não precisou falar nada, Harrison viu em sua expressão que algo tinha acontecido.

Obviamente ele saiu correndo pela casa procurando sua família, e a encontrou no quarto dos pais, numa estranha cena que não sairia da sua cabeça tão cedo. A princípio ele não viu o sangue, embora estivesse por boa parte do lugar, Harrison saiu correndo na direção da mãe, que estava jogada na cama de costas para ele, pois esse era o termo, com as roupas rasgadas e o braço sob o corpo, par trás, numa estranha posição. Mas ao correr, ele escorreu no sangue que estava pelo chão e caiu de joelhos, notando, com a queda, outro corpo, de seu irmão, a alguns centímetros de seu rosto. Os olhos vazios e a expressão de puro terror o fitavam, não, não era bem fitar, pois estavam para sempre estáticos. Ao correr os olhos pelo corpo do irmão, ele viu os ferimentos em seu tronco, tiros, de alguma arma com um calibre “pesado”.

Spoiler:
 

Ele acabou não indo até a mãe, pois quando conseguiu desviar os olhos do irmão e se levantar, deu de cara com o corpo do pai encostado na parede, segurando uma arma, de olhos fechados e expressão serena, parecendo dormir. Uma parte racional da mente entorpecida de Harrison constatou que era de calibre semelhante ou igual ao que matara seu irmão e que o “velho” não respirava, ele cambaleou até o pai, que parecia ser o único de corpo intacto ali, nenhum ferimento aparente, sem estar sujo de sangue e com as roupas inteiras. Harrison tocou no ombro do pai, uma vã tentativa de acordá-lo, assim que o fez, porém, as paredes de sua casa começaram a pegar fogo!

Albine, John e Alex, que até então tinham apenas seguido Harrison até o quarto, olhado o que acontecera e sentido o que lá tivessem sentido em silêncio, respeitando o outro, alarmaram-se com a situação, pois parecia que tinha gasolina espalhada pelo chão e pelas paredes, o que eles sabiam não ter, mas, mesmo assim, o fogo começara a lamber toda a casa. Precisavam sair dali!


Spoiler:
 




OFF: Desculpe, realmente não me lembro se vc tinha mais de um irmão ou uma irmã, e não tenho mais acesso a sua história, Ryghar, tentei te ligar e não consegui.

E, pessoal, desculpe uma cena mais focada no Harrison, mas a ficha dele logo vai pra M&M, tive que aproveitar o defeito do rapaz! xD

_________________
"Is my ignorance my fate, or is my love distorted hate
Is deliverance my mate or am I sleeping while awake
Is this place that we call home adorned by devastating foam
Am I mortal, am I god - Am I brighter than you thought?"

"I will never beg for mercy - I will never kiss your feet
I will never ask forgiveness and all of that I want to keep!
I will guide the blind in darkness though I cannot see myself
I will whisper in a deaf ear while I know you cannot speak."

Voltar ao Topo Ir em baixo
http://rrpg.ultimarpg.net
Zao-Lat

avatar

Mensagens : 19
Data de inscrição : 19/08/2010
Idade : 32

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Dom Ago 29, 2010 12:27 pm

Provavelmente Harrison não iria reagir a tempo, então John agarra-o e sai correndo do lugar.

_________________

Judex Meus Solus Deus Est.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://caixacinza.wordpress.com/
Alex



Mensagens : 18
Data de inscrição : 23/08/2010
Idade : 36

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Seg Ago 30, 2010 7:07 pm

- Vamos sair daqui!!! Rápido!!!

Com o susto e a pressa, Alex gritava o óbvio. Ficou até ter certeza de que todos, inclusive Harrison, sairiam em segurança.

Fora da casa, ordenou a todos:

- Entrem no carro!

Sentou-se no banco do motorista de novo, mas não deu a partida. Ficou olhando a casa, procurando ter certeza de que Harrison não estava fora de controle, mesmo sem olhar pro colega.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Rhygar



Mensagens : 115
Data de inscrição : 18/08/2010
Idade : 29
Localização : Rio de Janeiro

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Qui Set 02, 2010 1:35 pm

Durante toda a ida até sua casa, Harrison estava apreensivo. Ele pensava que talvez algo pudesse acontecer com seus pais. Sabia que sua casa não era um local seguro. Eles teriam de se mudar com ele para a casa de Gosling, reclamariam, ele diria "Hey Mãe, Hey Pai, eu tenho super-poderes, posso fazer vocês voarem, luto contra o crime e vocês serão alvos, vamos para um lugar bem maior e discutiremos a segurança do mundo enquanto tomamos coca-cola!".

Mas ao entrar em casa, o coração apertou, a garota que podia ver futuro tinha uma expressao apavorada.
Não, Não, não, não - subiu as escadas correndo dizendo isso a si mesmo, revirou quartos chamando por eles.

Ao entrar no quarto dos pais, viu sua mãe com as roupas rasgadas, como se tivesse sido atacada. O mundo perdeu o foco, a cama parecia a dezenas de metros distante dele. Ele correu até ela.

MÃE! e não viu a poça de sangue formada no chão. Pisou e escorregou, bateu forte no chão, machucando cotovelos e tórax . Ao tentar se levantar, ficou terrificado, pois 2 olhos arregalados o fitavam, olhos sem cor, sem vida. Olhos de alguem que outrora pertubara tanto Harrison, sua voz irritante, seu jeito insuportável, uma demostração pura de vida. Sua irmã estava ali, em baixo da cama, pálida, com os olhos vidrados no vazio. Não se davam bem, mas era apenas briga de irmãos, coisa normal, e ali estava ela. Ele não pode deixar de se sentir culpado por todas as vezes que brigaram e ele quiz que algo acontecesse à ela. Mas o pior ainda estava por vir.

Levantou-se e viu sua mãe. A mulher plácida, paciente e que preferia ficar calada a entrar numa briga, alguém que o surpreendia entre a mãe superprotetora e a pessoa que sabe que tem de deixar o filho seguir seu caminho.

- Não, não...mãe, não, Não, NÂAAO,NÂAAo, mãaaae, não, NÂAAAAAAO - gritou entre lagrimas e descrença, abraçando-a, enquanto os braços dela pendiam

Com a roupa rasgada, o braço, que antes apenas parecia estar torto, num angulo improvável. Quebrado, exposto. Assim como ela estava, quebrada. Foi com puro horror que constatou que ela tinha sido violentada. Tremeu de cima a baixo, hematomas pelo corpo. Harrison não sabia o que era real e o que era pesadelo. O pensamento falhou, o joelho direito cedeu por um instante, os musculos repuxavam. Ele sabia que tinha mais.

Seu pai, estava perto. Caído perto de uma poltrona antiga, ele se lembrava de quando comprou aquilo para eles. Ele estava com a expresão tranquila, como quando Harrison mostrava algo com orgulho a ele. Uma expressão simples, que era alienígena aquele lugar naquele momento. O homem que o ensinou sobre caráter, o homem que o ensinou sobre não aceitar algo errado, o homem que o mostrou como devia ser um pai de verdade.
Sobre seu colo, havia uma escopeta. Harrison não pensou direito, mas ao olhar para tras viu os ferimentos da mãe e olhou para a arma, era do mesmo calibre.

Seu coração parou de bater por instante quando a mais Absurda das ideias lhe ocorreu.

-Nãonãonãonão...Pai...pai.p-p-pa... um soluço impediu-lhe de terminar. Amava muito os pais. Ia tentar abraçá-lo quando um forte calor preencheu o ambiente, mas Harrison não percebeu nada até que algo forte o segurou e o puxou para as escadas. Era John e ele estava arrastando-o, enquanto, agora Harrison via, o quarto começava a pegar fogo.

- NÂAAAAAO! NÂAAAAAAAAAO

- Nãaaaao, Volta, VOLTE. PAAAAI, MÂAAAAAAAAAE! Gritava sobre o ombro do aliado, com os braços estendidos.

Harrison tentou se desvencilhar do homem geralmente tão alheio, mas usando a força dos braços apenas, ele não conseguiria.

Com a mente borbulhando em dor, duvida. Harrison não aceitava o que tinha visto. Não era verdade. Ele usou sua telecinese para sair do braço de John. E, pela primeira vez, fez uso da Pyrocinese para apagar as chamas.

-Chega!

Off: não sei qual é o teste pertinente
Voltar ao Topo Ir em baixo
Katsumi Liqueur

avatar

Mensagens : 480
Data de inscrição : 31/07/2010
Idade : 29
Localização : Rio de Janeiro

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Qui Set 09, 2010 6:24 pm

OFF: Sua ficha já está pronta, né? Coloque ela lá no tópico. De qualquer forma, sem testes, por hora, vamos só na interpretação...


Citação :
Com a mente borbulhando em dor, duvida. Harrison não aceitava o que tinha visto. Não era verdade. Ele usou sua telecinese para sair do braço de John. E, pela primeira vez, fez uso da Pyrocinese para apagar as chamas.

-Chega!

Harrison tentou sair do "abraço" de John com seu poder, ele até achou que consegueria, mas o "armário" fechou os braços com mais forças e continuou a arrastá-lo. Com, ou sem, poderes, Harrison não consegueria competir "fisicamente" com o grandalhão, por mais adrenalina que tivesse, mais nervoso, agressivo e agitado. O jovem estava se machucando ao se debater, mas não conseguia mover os músculos de John o suficiente para escapar.

Já com a pirocinese o assunto foi outro, por alguns segundos algo aterrador aconteceu, as chamas aumentaram e pareceram ficar cada vez mais próxima dos quatros, as labaredas lambendo a todos e chegando a queimá-los com um ou outro toque mais audacioso, porém, isso durou pouco... Passados não mais que vinte segundos, Harrison começou a controlar o fogo que começou a ceder sob suas ordens...

_________________
"Is my ignorance my fate, or is my love distorted hate
Is deliverance my mate or am I sleeping while awake
Is this place that we call home adorned by devastating foam
Am I mortal, am I god - Am I brighter than you thought?"

"I will never beg for mercy - I will never kiss your feet
I will never ask forgiveness and all of that I want to keep!
I will guide the blind in darkness though I cannot see myself
I will whisper in a deaf ear while I know you cannot speak."

Voltar ao Topo Ir em baixo
http://rrpg.ultimarpg.net
Zao-Lat

avatar

Mensagens : 19
Data de inscrição : 19/08/2010
Idade : 32

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Seg Set 13, 2010 10:02 pm

OFF: Não tenho o que postar, e ninguém posta

_________________

Judex Meus Solus Deus Est.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://caixacinza.wordpress.com/
Rhygar



Mensagens : 115
Data de inscrição : 18/08/2010
Idade : 29
Localização : Rio de Janeiro

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Ter Set 14, 2010 3:15 pm

- Me solte, por favor - Harrison pediu a John. Estava chorando. O espírito em frangalhos. Como eles fizeram uma coisa dessas? - Por favor, me solte.


O fogo havia parado, mas a imagem que ele vira no quarto ainda estava bem a sua frente. Harrison sempre teve lampejos de visões da cena de diversos angulos, torturando sua mente. Via a casa queimada, e via por todos os lados sangue, sangue que so existia em sua cabeça. Imaginava os gritos. Sentia o terror. Sentia o aperto.

Correria para dentro de casa assim que John o largasse. Subiria até o quarto só para rever a mesma cena. A realidade estava mentindo. Era um pesadelo. Era pior que um pesadelo.

Nao importa o quanto apertasse o corpo de seus pais, eles estavam inertes e chamuscados. Não importa o quanto gritasse, eles não respondiam. Ficou ali com eles. Os puxou para perto de si, se apoiou numa parede, abraçou os próprios joelhos e chorou silenciosamente, sua mente não pensava em nada. Apenas castigava-o com lembranças deles vivos, momentos de raiva sem sentido e de risadas que não viriam mais.

Ele ficaria ali por horas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Zao-Lat

avatar

Mensagens : 19
Data de inscrição : 19/08/2010
Idade : 32

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Ter Set 14, 2010 7:52 pm

Aparentemente ele estava um pouco mais consciente agora. John o larga assim que ele pede. E de qualquer forma, não tinha mais nada a ver com ele.

_________________

Judex Meus Solus Deus Est.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://caixacinza.wordpress.com/
Katsumi Liqueur

avatar

Mensagens : 480
Data de inscrição : 31/07/2010
Idade : 29
Localização : Rio de Janeiro

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Dom Out 03, 2010 11:02 pm

Alex, no fim, não havia saído e ido até o carro porque Harrison não os havia acompanhado, o telepata virou-se para John e Albine e falou que os encontrava lá fora, seu tom não abria muita brecha para conversa e ficou claro, a partir do fato que ele virou as costas para ambos e foi até o "dono" da casa, que sua intenção envolvia o uso de seus poderes no companheiro.

Quando John e Albine saíra, e só depois disso, ele se ajoelhou na frente de Harrison. Sinceramente, Alex não fazia idéia do que o outro passava e, apesar de seu carisma, não era tão empático para tentar entender aquele tipo de dor. E Alex era prático, e aquela situação de Harrison acabaria por atrapalhar bastante eles, por isso o telepata agiu até com um toque de frieza, porém era algo necessário.

Ele não apagou ou alterou as memórias de Harrison, mas ele suavizou a dor que o outro sentia consideravelmente. Era como se ele estivesse curando temporariamente aquele terrível cicatriz emocional, numa péssima analogia, era como se ele tivesse dado pontos frouxos numa ferida, os pontos arrebentariam e, provavelmente, ficaria uma cicatriz pior depois, mas, na hora, seria bastante funcional.

-Vamos logo! - Falou entre dentes, ao terminar de mexer na mente de Harrison.



OFF: Ryghar, ele diminui a dor, é como se o Harrison soubesse o que aconteceu, mas não "doesse", como se ele fosse um espectador e aquilo aconteceu com um personagem de um filme que ele via, embora ele saiba que tenha sido com ele. xD

_________________
"Is my ignorance my fate, or is my love distorted hate
Is deliverance my mate or am I sleeping while awake
Is this place that we call home adorned by devastating foam
Am I mortal, am I god - Am I brighter than you thought?"

"I will never beg for mercy - I will never kiss your feet
I will never ask forgiveness and all of that I want to keep!
I will guide the blind in darkness though I cannot see myself
I will whisper in a deaf ear while I know you cannot speak."

Voltar ao Topo Ir em baixo
http://rrpg.ultimarpg.net
Rhygar



Mensagens : 115
Data de inscrição : 18/08/2010
Idade : 29
Localização : Rio de Janeiro

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Dom Out 03, 2010 11:32 pm

Off: Errr, tu sabe que isso nao é algo nada legal de se fazer né. Inspirar indiferença pode ser algo pior do que deixar ele sofrer. Entenda o pode como 100% de chances dele ficar boladao qndo perceber e ignorar qqer motivo que tenha levado o Alex a faazer isso né e partir pra ignorancia pura e simples né?

Não havia mais dor. Não havia mais desespero. Havia um vazio, um vazio que ele sabia do que se tratava mas nao conseguia sentir. A morte traumática das pessoas que ele mais amava estava escancarado na sua frente e ele sentia agora como se fossem apenas pessoas comuns, sentiu-se alheio a situação, comovido pelas mortes, como ficaria em qualquer situação de alguma morte desconhecida. Ele tinha horror ao perceber que, de repente, a morte de seus pais pareceu algo que poderia ocorrer a qualquer um, algo que seria esquecido assim que ele saisse dali. Isso não entrava na cabeça dele, embora parecesse o obvio, ALGO estava MUITO errado.

- Mas deviamos enterrá-los - A preocupação que ele teria ao ver pessoas desconhecidas mortas. - Alex, eu não sinto nada. Que tipo de monstro eu sou por perder as pessoas mais importantes da minha vida e não sentir nada mais profundo que pena?

Algo não estava nada certo, e não era a morte deles. Por Deus, eram os pais dele e ele se referia a eles como algo qualquer. Que porra estava acontecendo com ele?

- Sim vamos embora. Mas vamos ligar para a policia, para o IML. Eles merecem um enterro decente.

Ele pegou o celular e levemente comovido ligou para a polícia.

-Sim...é foi um incendio criminoso...suspeito? Eu sei quem foi, é alguem de nome Raposa prateada. Sim por favor, mande um carro para cá. Obrigado.

- A polícia está vindo...podemos partir
Voltar ao Topo Ir em baixo
Katsumi Liqueur

avatar

Mensagens : 480
Data de inscrição : 31/07/2010
Idade : 29
Localização : Rio de Janeiro

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Seg Out 04, 2010 1:04 am

OFF: Eu sei, mas só tem vc e Zao jogando. E um dia em on duraria dias em off, que vc ficaria sem jogar, enquanto os outros, inclusive o Zo, fariam alguma coisa. Considere que o Harrison não sabe que o Alex mexeu na mente dele, tipo, ele soube que teve um súbito ataque de indiferença e foi isso. E, sim, estou ciente que isso vai ferrar mais ainda o pobre xD

_________________
"Is my ignorance my fate, or is my love distorted hate
Is deliverance my mate or am I sleeping while awake
Is this place that we call home adorned by devastating foam
Am I mortal, am I god - Am I brighter than you thought?"

"I will never beg for mercy - I will never kiss your feet
I will never ask forgiveness and all of that I want to keep!
I will guide the blind in darkness though I cannot see myself
I will whisper in a deaf ear while I know you cannot speak."

Voltar ao Topo Ir em baixo
http://rrpg.ultimarpg.net
Zao-Lat

avatar

Mensagens : 19
Data de inscrição : 19/08/2010
Idade : 32

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Ter Out 05, 2010 9:20 am

Parecia que alguém havia dado um "auxílio moral" para o cara que havia acabado de perder a família. Era um pouco estranho livrá-lo dos sentimentos, mas aquela não era uma boa situação para crises emocionais.

Mas a reação dele depois daquela supressão de sentimentos havia sido pior que a anterior! Ele estava ligando pra polícia? Enquanto eles ainda estavam ali? Ele tinha falado do raposa para a polícia?

*facepalm*

Teriam que ir embora o mais rápido possível e não poderiam mais voltar ao local tão cedo. John volta rápido para o carro.

- Vamos...

_________________

Judex Meus Solus Deus Est.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://caixacinza.wordpress.com/
Katsumi Liqueur

avatar

Mensagens : 480
Data de inscrição : 31/07/2010
Idade : 29
Localização : Rio de Janeiro

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Seg Out 11, 2010 1:52 pm

No momento que Harrison mencionou "Raposa Prateada" a ligação caiu, mas ele não estava num estado para notar a profundidade do que havia feito. John não soube que a ligação tinha caído, mas ao escutar o telecinético falar o que falara, soube o perigo que todos corriam.


John foi para o carro, seguido por Alex que carregou Harrison, Albine os seguiu e, finalmente, parecia entender a gravidade da situação, por isso se fechara no silêncio e empalidecera. John sentou-se diante do volante, mas para onde iria agora?

_________________
"Is my ignorance my fate, or is my love distorted hate
Is deliverance my mate or am I sleeping while awake
Is this place that we call home adorned by devastating foam
Am I mortal, am I god - Am I brighter than you thought?"

"I will never beg for mercy - I will never kiss your feet
I will never ask forgiveness and all of that I want to keep!
I will guide the blind in darkness though I cannot see myself
I will whisper in a deaf ear while I know you cannot speak."

Voltar ao Topo Ir em baixo
http://rrpg.ultimarpg.net
Rhygar



Mensagens : 115
Data de inscrição : 18/08/2010
Idade : 29
Localização : Rio de Janeiro

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Qui Out 14, 2010 4:11 pm

Harrison fica meio que surpreso pela ligaçao ter caido.

- Ué, caiu?

Alex por algum motivo achou que Harrison nao andaria.

- Hey, eu sei andar sozinho, ta legal?

Sentou-se no banco traseiro, junto da garota estranha. Ele estava estranhando sua propria atitude, ele estava calado demais, serio demais, e nao sabia porque. talvez seja por aquelas pessoas que morreram. É devia ser isso.

- Vamos nos encontrar com Alexia e Garry, qual é mesmo o endereço que eles citaram?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Zao-Lat

avatar

Mensagens : 19
Data de inscrição : 19/08/2010
Idade : 32

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Qui Out 14, 2010 11:04 pm

John nunca tinha terminado suas aulas de direção, mas pelo jeito teria que ser ele mesmo. E ele não seria o primeiro a destruir um carro... Ele não espera para dar a partida no carro e sair dali. Era melhor sumir antes, pensar depois, tinham que sair dali rápido depois daquele telefonema. O outro lhe pergunta sobre onde deveriam ir. John estava tendo que se concentrar muito no trânsito para ficar se lembrando de coisas e ainda não bater o carro.

- Não lembro, pergunta pro telepata!

_________________

Judex Meus Solus Deus Est.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://caixacinza.wordpress.com/
Alex



Mensagens : 18
Data de inscrição : 23/08/2010
Idade : 36

MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   Qua Out 20, 2010 9:43 am

- Graças à minha telepatia, eu me lembro de tudo. Siga por ali, motorista!

Alex ia orientando o caminho, mostrando a melhor rota para chegarem aos outros.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Second Stage - “Death is terrifying because it is so ordinary. It happens all the time.”
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [Missão Primeiros Passos] The Death Knight
» [JOGO] Death Note - A Sentença
» Death Note - Regras
» Contador de Kill's e Death's
» Ficha de Lawiet Ryuzaki [L]

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Ressonance RPG :: Mesas :: Contemporâneo :: Renegados-
Ir para: